Fotos mostram encontros bem-sucedidos com cometas

A nave se aproximou do 67P/ Churyumov-Gerasimenko para investigar a estrutura e composição do astro - e buscar novas pistas sobre a origem da vida. As imagens acima mostram encontros bem-sucedidos com outros cometas. A pesquisa destes corpos celestes é importante devido ao fato de uma das teorias sobre o início da vida na Terra postular que os primeiros ingredientes da chamada "sopa orgânica" vieram de um cometa. / Da BBC
Em março de 1986, a espaçonave europeia Giotto passou a 600 quilômetros do famoso cometa 1P/Halley. Esta imagem foi feita pela câmera da Giotto, que ficou muito danificada depois de a espaçonave passar tão perto do famoso cometa. (ESA/MPAE Lindau)
O cometa Halley talvez tenha o formato mais conhecido. A foto acima foi feita no Peru em 1910, usando uma exposição de 30 minutos. Devido ao percurso regular feito pelo corpo celeste perto do Sistema Solar (a cerca de cada 75 a 76 anos), o Halley é observado há séculos. Sua próxima aparição será em 2061. (Foto: Observatório de Harvard/SPL)
Uma passagem próxima do comete 19P/Borrelly foi feita pela missão Deep Space 1, que já tinha passado perto de um asteroide e fez vários testes de novas tecnologias antes de se encontrar com o Borrelly. A imagem, feita de uma distância de mais de 3 mil km, mostrou parte do terreno do cometa e foi a foto mais clara já tirada de um cometa até aquela época. (Foto: Nasa/JPL)
A missão Stardust, da Nasa, passou perto do cometa 81P/Wild em janeiro de 2004, coletando amostras da nuvem de gás e poeira que o cometa produz quando se aproxima do Sol. Esta foto foi feita a uma distância de cerca de 500 quilômetros. A sonda Stardust voltou para a Terra em 2006 e a Nasa. Depois disso, cientistas anunciaram que encontraram o aminoácido glicina na poeira do cometa. (Foto: Nasa/SPL)
Em Julho de 2005, a missão Deep Impact conseguiu se chocar com o cometa 9P/Tempel, para descobrir mais sobre a composição do corpo celeste. Esta foto espetacular, feita 67 segundos depois do impacto pela nave da Deep Impact que passou próxima do cometa, mostra a luz resultante da colisão e também detalhes da superfície do cometa, iluminada pelo Sol. (Foto: Nasa/JPL-Caltech/UMD)
Esta imagem da superfície do cometa Tempel foi feita pouco antes do impacto. (Foto: Nasa/JPL-Caltech/UMD)
Estas belas imagens do Tempel foram feitas em 2012, quando o cometa recebeu outra visita, desta vez da espaçonave Stardust, que tinha sido reativada. Esta missão encontrou provas da existência de água na superfícia do cometa e até enviou de volta uma imagem da cratera deixada pelo impacto da sonda Deep Impact. (Foto: Nasa/JPL/CalTech/Cornell/Science Photo Library)
Depois de sua bem-sucedida viagem ao cometa 9P/Tempel, a Deep Impact foi redirecionada para passar perto do cometa 103P/Hartley. Esta série de imagens foi feita em novembro de 2010, quando a Deep Impacto se aproximou do cometa em formato de amendoim, passando a cerca de 700 quilômetros de distância. Este foi o quinto cometa que visto tão próximo. O Churyumov-Gerasimenko será o sexto. (Foto: Nasa/JPL-Caltech/UMD)
Via Google Plus

About Antonio F. Nogueira Jr.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: