setembro 22, 2014

setembro 21, 2014

Em ensaios, fotógrafo explora sensualidade de homens africanos

O fotógrafo nigeriano Rotimi Fani-Kayode morreu aos 34 anos de idade em 1989, mas deixou uma vasta obra sobre a masculinidade e a sensualidade de homens africanos. Radicado em Brixton, bairro com forte cultura afro-caribenha no Sul de Londres, ele agora ganhou uma retrospectiva na galeria Tiwani Contemporary, na capital britânica. Seu trabalho mistura diversas influência, em especial a cultura iorubá, na qual foi criado e educado.

setembro 19, 2014

Imagem de aurora boreal sobre lago na Islândia é 'foto de astronomia do ano'

De um eclipse sobre o Quênia até um céu sereno preenchido com uma aurora verde cintilante - a competição "Fotógrafo de Astronomia do Ano", realizada pelo Observatório Real de Greenwich, em Londres, apresenta o cosmos que vai além do nosso planeta por meio de fotos deslumbrantes. Foram centenas de participantes de 51 países, com fotos divididas nas categorias Terra e Espaço, Pessoas e Espaço, Nosso Sistema Solar, e Espaço Profundo. O vencedor geral foi o britânico James Woodend, que ganhou o prêmio principal de Fotógrafo de Astronomia de 2014 com uma foto da aurora verde cruzando o céu islandês e refletindo na lagoa glacial de Vatnajökull. Shishir Shashank Dholakia, de 15 anos, dos Estados Unidos, ganhou na categoria Fotógrafo Jovem do Ano. As fotos vencedoras estão expostas no Observatório Real de Greenwich até 22 de Fevereiro de 2015. / Da BBC
Foram centenas de participantes de 51 países países em todo o mundo, apresentando a beleza e os detalhes do cosmos que vão além do nosso planeta. As categorias foram: Terra e Espaço, Pessoas e Espaço, Nosso Sistema Solar, e Espaço Profundo. Essa última teve Bill Snyder como vencedor com essa foto da nebulosa Cabeça de Cavalo.
O segundo colocado da mesma categoria foi David Fitz-Henry, com a imagem do tiro da Nebulosa de Hélix; o concurso foi realizado realizada pelo Observatório Real de Greenwich, em Londres.
Uma imagem intitulada Caminhos de Estrelas para o Parque Eólico, de Matt James, foi a segunda colocada na categoria Terra e Espaço.
O gás superaquecido na superfície de ebulição do sol foi registrado em foto por Alexandra Hart – ela venceu a categoria Nosso Sistema Solar.
O vice-campeão na mesma categoria foi George Tarsoudis com esse clique detalhado das crateras da lua.
A figura de uma silhueta sob o pano de fundo de um horizonte na savana do Quênia é um eclipse solar híbrido raramente visto. Essa foto foi feita por Eugen Kamenew, da Alemanha, e ganhou o primeiro lugar na categoria Pessoas e Espaço.
O segundo lugar ficou com Julie Fletcher por essa foto intitulada “Almas Perdidas”.
O vencedor do Escopo Robótico do Ano foi Mark Hanson, do Reino Unido, por esse registro da galáxia espiral.
O Prêmio Sir Patrick Moore para Melhor Revelação foi para Chris Murphy, que fotografou as formações rochosas da região Wairarapa na Nova Zelândia sob nuvens em toda a Via Láctea.
Shishir Shashank Dholakia, de 15 anos, dos EUA, ganhou o prêmo para Jovem Fotógrafo de Astronomia do Ano. As imagens do Prêmio de Fotógrafo de Astronomia de 2014 podem ser vistas no Observatório Greenwich até 22 de Fevereiro de 2015.

setembro 17, 2014

A arte marginal e a sexualidade na obra de Paula Rego

A “portuguesa de Camden Town”, como lhe chamava o poeta Alberto de Lacerda, vai estudar para Inglaterra aos 16 anos porque nas palavras do pai, Portugal «não é terra para mulheres». Desmontar jogos de poder, denunciar o autoritarismo político, a hipocrisia, expor o sofrimento no amor e a sexualidade encapotada, exaltar o poder feminino, não menos violento, perante todas as agressões, são alguns dos princípios subjacentes a uma obra, que desde a primeira exposição em Lisboa (SNBA, 1965/66), até hoje, continua a suscitar tanto a admiração quanto o embaraço.
Arte: Paula Rego

setembro 15, 2014

Artista mescla 'passado e presente' para expor trauma de golpe no Chile

Em sua obra 'A Persistência da Memória', o artista chileno Andrés Cruzat inseriu imagens do golpe militar de 11 de setembro de 1973 em fotos atuais dos mesmos locais, criando um contraste entre passado e presente que convida à reflexão sobre a identidade da sociedade chilena. (Crédito: Andrés Cruzat e Gustavo Alberto Bravo)“Pensei em usar esse título para essa série de fotos justamente porque é muito surreal a situação de estar lá, passear todos os dias com aqueles fantasmas, é como se esses lugares estivessem impregnados com essa memória”, explica. (Crédito: Andrés Cruzat y Chas Gerretsen)
“Pensei em usar esse título para essa série de fotos justamente porque é muito surreal a situação de estar lá, passear todos os dias com aqueles fantasmas, é como se esses lugares estivessem impregnados com essa memória”, explica. (Crédito: Andrés Cruzat y Chas Gerretsen)
Nessa foto, os restos mortais de Presidente Salvador Allende são tirados pelo Portão de Morandé 80, fechado durante o regime e reaberto no governo do presidente Ricardo Lagos. (Crédito: Andrés Cruzat e AP El Mercúrio)
Essa mistura de passado com presente permite que você reconstrua os fatos e reflita sobre eles, de acordo fotógrafo. Para ele, essa é uma história recente que não pode ser esquecida. (Crédito: Andrés Cruzat e Chas Gerretsen)
“Eu via as fotos do golpe quando era muito pequeno, então pensava que estava acontecendo em outro país, não pensava que era aqui. Quando me dei conta que a realidade era aqui, foi um choque grande para mim”, disse Cruzat. (Crédito: Andrés Cruzat e Chas Gerretsen)
Calle Morandé, esquina de La Moneda. Os soldados abriram fogo contra o Ministério das Obras Públicas, onde havia um foco de resistência. (Andrés Cruzat e Chas Gerretsen)
Acima, foto do fogo em La Moneda (sede do governo chileno), Calle Moneda, atualmente onde é a Plaza de la Constitución. É possível ver mais fotos do projeto de Andrés Cruzat em sua página no Facebook (https://www.facebook.com/pages/Andres-Cruzat-Fotomemoria/720057431398761). (Crédito: Andrés Cruzat y Chas Gerretsen)
O trabalho dele se concentra principalmente no bombardeio de La Moneda e nos acontecimentos do dia 11 de setembro, o dia do golpe, perto do Palácio do Governo. (Crédito: Andrés Cruzat e Chas Gerretsen)

setembro 14, 2014

setembro 13, 2014

China reúne mestres da fotografia em sua primeira feira dedicada à arte

Foi realizada neste mês a edição inaugural do Photo Shanghai, a primeira feira internacional de arte dedicada à fotografia na China. A feira exibiu o trabalho de alguns dos mais renomados fotógrafos do mundo, incluindo o brasileiro Sebastião Salgado. Cerca de 70 galerias exibiram seus trabalhos na feira. Segundo os organizadores, o objetivo é estabelecer uma plataforma internacional para fotografia artística na região Ásia-Pacífico. / Da BBC Brasil
A feira exibiu o trabalho de alguns dos mais renomados fotógrafos do mundo, incluindo Nick Brandt, Edward Burtynsky, Henri Cartier-Bresson, Patrick Demarchelier, Peter Lindbergh, Steve McCurry, Araki, Mokiyama , Martin Parr, Robert Polidori, Josef Sudek e Albert Watson, autor desta imagem de Lisa Kauffman, feita em Paris em 1986. O brasileiro Sebastião Salgado também esteve entre os fotógrafos expostos. (Albert Watson. Cortesia: A Galerie, Paris)
O objetivo da feira é estabelecer uma plataforma internacional para fotografia artística na região Ásia-Pacífico. Esta imagem mostra a parte de trás de um vestido Versace, feita pelo renomado fotógrafo americano Herb Ritts. Por quase 25 anos, Ritts fotografou celebridades para capas de álbuns, ensaios de moda e campanhas publicitárias. (Herb Ritts. Cortesia: Camera Work, Berlim)
Cerca de 70 galerias exibiram seus trabalhos na feira, incluindo a C.A.M. Gallery, de Istanbul; a Danziger Gallery, de Nova York; a Flowers, de Londres; a Three Shadows, de Pequim, e o Centro Tcheco de Fotografia, de Praga, que exige esta imagem de Stastny Bohumil, feita nos anos 1930. (Stastny Bohumil. Cortesia: Centro Tcheco de Fotografia)
"Estou animado em trazer a fotografia dos séculos 19 e 20 junto a já estabelecidas fotografias contemporâneas e emergentes do maior calibre para a região cuja economia é a que mais cresce no mundo", disse o diretor da feira, Alexander Montague-Sparey. (Xiong Wen Yun. Cortesia: Aike-Dellarco)
Para o editorial de moda de primavera da Harper's Bazzar em 1963, Melvin Sokolsky fotografou a modelo Simone d'Aillencourt em uma bolha. (Melvin Sokolsky. Cortesia: Fahey/Klein Gallery)
A série Perdidos e Achados (Lost and Found Series) é um projeto do artista chinês-americano Peikwen Cheng, que é baseado em Pequim e Nova York. (Peikwen Cheng. Cortesia: MD Gallery)
Alguns dos trabalhos em exibição incluíram impressões como esta de 1957, feita por Ho Fan. (Ho Fan. Cortesia: AO Vertical Art Space)
Palestras e outros eventos ocorreram simultaneamente à feira. (Yang Fudong. Cortesia: ShanghART)
Para mais informações sobre a feira, acesse http://www.photoshanghai.org. (Graham Fink. Cortesia: Riflemaker)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Congêneres