Escondidos do Talebã: os 'tesouros' de lambe-lambes afegãos

Desde maio de 2011 o artista austríaco Lukas Birk e o etnógrafo irlandês Sean Foley pesquisam a cultura dos fotógrafos de rua do Afeganistão. (Acima: fotógrafo paquistanês perto de Peshawar, Paquistão/Lukas Birk/Sean Foley)
Acima, um exemplo de um destes retratos que passou por melhorias digitais, foi colorido e ganhou um efeito de auréola. O livro 'Afghan Box Camera', de Lukas Birk e Sean Foley é publicado pela editora Dewi Lewis Publishing (Foto: Lukas Birk/Sean Foley)
A câmera é completamente manual. O processo fotográfico é analógico, usa produtos químicos e papeis ao invés de filme. (Acima: a câmera de Izzat Ullah, em Peshawar, Paquistão, 2012/Lukas Birk/Sean Foley)
Durante o regime do Talebã as fotografias foram proibidas junto com a televisão, música e cinema, obrigando muitos destes fotógrafos a esconder ou destruir suas câmeras. (Acima: fotógrafo abre a parte de trás da câmera para ver uma imagem positiva/Lukas Birk/Sean Foley)
Entre as outras fotos descobertas no projeto, está este exemplo de um retrato colorido à mão, feito por Abdul Samad, mostrando sua família - a mãe do fotógrafo está no centro. A foto é de um álbum de família que pertence ao filho, Abul Satar, e foi mantido em segurança durante a guerra civil e escondido durante o regime do Talebã pela tia de Star. (Foto: Lukas Birk/Sean Foley)
'Prevendo as mudanças, um fotógrafo em Herat, Hekmatullah Arbadzadeh, começou a juntar uma coleção das fotos da kamra-e-faoree depois de 2001, a maioria retratos de crianças, estudantes da cidade e arredores. Ele chama estas fotos de 'tesouros', segundo Birk e Foley. (Acima: retratos de um menino e uma menina/Lukas Birk/Sean Foley)
Feitas à mão e com madeira, a kamrae-e-faoree é câmera e laboratório. Foi usada na região durante anos e gerações de afegãos tiveram seus retratos feitos por esta câmera. (Acima, pessoas que escrevem cartas para analfabetos sentam-se perto dos fotógrafos de rua no bairro de Charah-e-Sedarat, em Cabul, Afeganistão/Lukas Birk/Sean Foley)
Viajando para Cabul, Herat, Mazar-e-Sharif, Jalalabad e Peshawar, no Paquistão, Birk e Foley foram convidados pelos fotógrafos a visitarem suas casas e estúdios, além de receber informações sobre a câmera simples de madeira, conhecida na região como kamrae-e-faoree - e semelhante aos lambe-lambes, usados antigamente no Brasil. (Acima: o portfólio de Muhammad Ishaq, de Jalalabad, que trabalha com sua câmera há 40 anos/Lukas Birk/Sean Foley)
Via Google Plus

About Antonio F. Nogueira Jr.

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários: